Tag Archives: genética

Querido pai, queridas mães, então que tal? (com humor)

Image

Cada vez se ouve mais em legalizar a técnica de procriação assistida que consiste na substituição das mitocôndrias. Trata-se de uma técnica engraçada e, ao que parece, eficaz. Apenas tem um pequeníssimo detalhe, praticamente despercebido, insignificante. Que é o seguinte:
A criança que nascer irá ter três progenitores.

Mas porquê substituir as mitocôndrias?
O DNA presente nas mitocôndrias é transmitido apenas pela mãe, e pode sofrer mutações que originam graves doenças. Assim, para evitar males maiores, o rebento de uma mulher que recorra à substituição das mitocôndrias irá ter:

– Metade dos cromossomas do pai.
– Metade dos cromossomas da mãe.
– DNA mitocondrial de uma mulher desconhecida, porém caridosa, que decidiu emprestar as suas baterias celulares que estavam em bom estado.

Na minha humilde opinião, a grande questão aqui nem é ter 3 pais, mas sim 6 avós. Já para não falar do número de tios e tias. O que é que isto significa? Ainda mais pares de meias brancas com o símbolo das raquetes de ténis na altura do Natal.

E no meio de tantas controvérsias, não acredito que em Portugal esta técnica tenha pernas para andar. A não ser que haja um sorteio de mitocôndrias com base nas facturas que pedimos com o número de contribuinte.

Publicado por Pedro Lino

Anúncios

A Culpa é da Genética (com humor)

9

Sempre achei a genética fascinante. Não raras vezes ouvimos as pessoas comentarem: «Não sei a quem é que a criança sai. O pai é moreno, a mãe é morena, e o puto é loiro».
Enquanto as mentes mais maliciosas pensam em qual será a cor do cabelo do carteiro ou do canalizador, Mendel há muito que desvendou o mistério. Trata-se de um fenómeno de heterozigotia, o que significa que os pais possuem alelos diferentes do mesmo gene. Em outras ocasiões também pode ser devido a um processo biológico conhecido como adopção.

Seja como for, a genética tem sempre a culpa. Recentemente, um grupo de investigadores descobriu que existe um gene (com o simpático nome de RASGRF-2) que é responsável pelo alcoolismo. Curiosamente também foi descoberto um factor genético que é responsável pela sensação de bem-estar no momento em que se ingere cerveja e se assiste a um jogo de futebol – chama-se cromossoma Y.

A genética tem-nos surpreendido muito. Vários estudos têm apontado para o facto de os humanos se terem cruzado com o Homem de Neandertal. O que não é difícil de imaginar, se tivermos em conta a mesma linha de raciocínio para o José Castelo Branco e a Betty.

Não menos curioso são alguns estudos que afirmam que os humanos herdaram genes do tabagismo e da diabetes dos neandertais. Aqui já é suspeito, pois nós, humanos, gostamos muito de deitar as culpas nos outros. Todavia, acredito que os genes responsáveis por deitar as culpas nos outros também possam ter sido herdados dos neandertais.

Importantíssimo ainda é a aplicação da genética no campo da saúde. Há pouco tempo foram descobertos onze genes que estão envolvidos na doença de Alzheimer. No entanto, não me lembro do nome de nenhum deles…

Publicado por Pedro Lino

A Genética do Amor (com humor)

4Existe uma empresa chamada “GenePartner” que, com base no perfil genético das pessoas, determina o nível de compatibilidade biológica entre os casais, mediante o pagamento de 249 dólares. Ou seja, dizem-nos a probabilidade que um casal tem – em termos biológicos – de vir a desfrutar de uma relação de sucesso e longa duração, ou se simplesmente não foram feitos um para o outro. No fundo, esta empresa utiliza a biologia para nos dizer com quem temos química.

No entanto, penso que estes testes genéticos podem gerar conflitos entre pais e filhos. Estou a imaginar uma adolescente de 16 anos a dizer aos pais:
– A culpa é toda vossa! O Carlinhos é tao giro, mas não nos damos bem, e a culpa é vossa que me transmitiram estes genes.
– Calma, filha – diz o pai. – O facto de teres o nariz tão grande é culpa do teu bisavô. Ah, e se daqui a uns anos tiveres problemas de flatulência, já sabes, é do lado da tua mãe. Ainda ontem após comermos feijoada ao jantar tive de ir dormir para o sofá, e mesmo assim foi preciso abrir as janelas.

Mas a empresa vai mais longe e diz mesmo que os resultados mostram o «sucesso de fertilidade» e a «compatibilidade de uma vida sexual mais satisfatória». Esta última pode aplicar-se também ao negócio da prostituição – o cliente pode pedir um teste para ver se vale a pena o dinheiro investido durante os próximos 30 minutos (para que fique bem claro: eu não sei se, na verdade, são 30 minutos, isto foi um amigo meu que me contou).

O que acontece é que a GenePartner baseia-se numa classe de proteínas designada MHC (Major Histocompatibility Complex) para determinar a compatibilidade entre homens e mulheres, com base num princípio muito simples: quanto maior a diferença entre as classes destas moléculas entre um e outro, maior a probabilidade de as coisas correrem bem. Ou seja, os opostos atraem-se. O que, basicamente, não é nada que não saibamos já – um homem rico e feio tem boas hipóteses de casar com uma mulher que tenha poucos dígitos na conta bancaria mas que seja elegante (ou em linguagem masculina: podre de boa!).

Contudo, muitas pessoas dizem que preferem não saber este tipo de resultados, mesmo que o serviço fosse gratuito. Eu compreendo muito bem, não vá o teste genético dizer-nos que a nossa alma metade é o Manuel Luís Goucha!

Publicado por Pedro Lino

ITQB abre as portas da (bio)diversidade a 27 de Fevereiro


O Instituto de Tecnologia Química e Biológica da Universidade Nova de Lisboa (ITQB), em Oeiras, abre as portas dos seus laboratórios no dia 27 de Fevereiro. O Dia Aberto do ITQB convida todos os visitantes a «saborear um dia cheio de ciência», num evento que também celebra o Ano Internacional da Biodiversidade.

Exposições, demonstrações, visitas aos laboratórios, experiências para todos, e muitas oportunidades de conversa com investigadores fazem parte do menu proposto para esse dia, que também pretende mostrar a «diversidade que torna o ITQB num instituto tão especial»…

…«Nos temas a que se dedica:
química, biologia, bioquímica, genética, biotecnologia

Nos métodos que usa
experiências in vivo, in vitro, in silico

Nos organismos que estuda
archaea, bactérias, fungos, plantas e animais

E até nos investigadores
altos e baixos, novos e velhos, portugueses e estrangeiros,
químicos, físicos, bioquímicos, biólogos, agrónomos, farmacêuticos e engenheiros»

Confira o programa completo do Dia Aberto do ITQB.

Publicado por Sílvio Mendes