Tag Archives: Fundação Calouste Gulbenkian

Conferências gratuitas sobre Saúde Global e Diplomacia em Saúde em Lisboa

São duas novas áreas de investigação e abordam as relações interdisciplinares entre o desenvolvimento na saúde e o desenvolvimento político, económico e social. As cinco sessões públicas de entrada livre (de 20 a 24 de Junho, às 18h, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa) integram-se no Curso de Verão do Lisbon Institute of Global Mental Health e são apresentadas por alguns dos maiores especialistas internacionais na temática.

summercourse_sessoespublicas

 TEMAS E ORADORES
18h, Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa)

20 de junho
Health and Development
Joana Mira Godinho (Especialista em Saúde Pública, Gestora do setor da Saúde para a América Latina e Caraíbas do Banco Mundial (2010-2014))

21 de junho
Eradicating diseases: is it possible? Opportunities and challenges
Mirta Roses Periago
(Diretora Emérita da Organização Pan-Americana da Saúde (2003-2013))

22 de junho
The global debate on a Global Strategy to reduce harmful use of alcohol
Benedetto Saraceno
(Professor de Saúde Global, Universidade NOVA de Lisboa)

23 de junho
Equity and Global Health
Sir George Alleyne
(Diretor Emérito da Organização Pan-Americana da Saúde (1995-2003))

24 de junho
Cultural diversity, mental health and gender issues
Jorge Sampaio
(Presidente da República Portuguesa (1996-2006) e Alto Representante da ONU para a Aliança das Civilizações (2007-2013))

Saber mais: Summer Course on Global Health and Health Diplomacy

Gulbenkian estimula internacionalização das Ciências Sociais


O Programa para a Internacionalização das Ciências Sociais em Portugal , iniciativa do Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian, vai premiar artigos científicos publicados, ou aceites para publicação, em revistas internacionais de referência durante os anos de 2010 e 2011.

O prémio abrange as áreas de Antropologia, Ciências da Educação, Ciência Política, Demografia, Geografia Humana, História, Relações Internacionais e Sociologia.

Os artigos a concurso devem ter como autores investigadores portugueses (ou estrangeiros quem trabalhem em instituições portuguesas) com idade inferior a 40 anos (em 30 de Setembro de 2012). A organização atribuirá duas distinções, no valor de 5 mil euros cada, aos artigos seleccionados de entre os concorrentes.

O prazo para submissão de candidaturas termina a 31 de Outubro de 2012. Regulamento | Boletim de candidatura

Publicado por Sílvio Mendes

Workshop Ciência, Política e os Media: Como surgiu a ideia?

Uma vontade nascida em 2008 esteve na origem do conceito do Workshop Ciência, Política e os Media, que na próxima quinta-feira, dia 15 de Abril, se materializa na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Durante o European Science Open Fórum (ESOF) desse ano, em Barcelona, José Xavier (Instituto do Mar da Universidade de Coimbra) foi convidado pelo comité internacional para o Ano Polar Internacional para apresentar um palestra sobre o sucesso de Portugal na ciência polar. Esse fórum reuniu alguns dos mais activos cientistas europeus, membros do Parlamento Europeu, a comunidade jornalística e o público em geral, com o objectivo de exibir o que de melhor se fazia a nível científico no espaço europeu.

Durante o evento, ficou claro que estava na agenda europeia tentar compreender o que os investigadores, os políticos e os jornalistas andam a fazer e perceber como poderiam ser melhoradas as interacções entre eles.

Passada que estava a experiência, José Xavier encontraria em Cheila Almeida, Marta Agostinho e Inês Domingues (Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa) o entusiasmo e o apoio necessários para que a ideia do workshop pudesse transformar-se em realidade. Estavam reunidas as condições para que Portugal se juntasse à frente europeia na discussão desta temática tão importante.

José Xavier, optimista, abre-nos um bocadinho a cortina do que se passará na próxima quinta-feira: «A receptividade dos palestrantes, moderadores e relatores tem sido excelente… temos tudo para que seja um excelente dia!»

Organização do «Workshop Ciência, Política e os Media – Como traduzir conhecimento em decisões políticas»:

Cheila Almeida (Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa)
Inês Domingues
(Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa)
José Xavier (Instituto do Mar da Universidade de Coimbra)
Marta Agostinho (Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa)



Este texto integra o dossier especial criado para o Workshop Ciência, Política e os Media (15 de Abril de 2010, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa)

Publicado por Sílvio Mendes

Quem é quem no “Workshop Ciência, Política e os Media” – Sessão 1

Questionar e Interpretar a importância do que os cientistas fazem

– O exemplo do Reino Unido e o balanço do jornalismo de ciência em Portugal
Sessão 1 – 9h15 (15 de Abril, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa)

Biografias dos participantes:

Teresa Firmino | Jornal Público

Jornalista de ciência no jornal diário Público desde 1992 e co-autora, com a jornalista Filomena Naves, do livro Portugal a Quente e Frio, sobre as consequências das alterações climáticas em Portugal. Recebeu em 2007 a Menção Honrosa do Prémio “Jornalismo Científico” da Fundação Ilídio Pinho.

Ligações: Público (Ciência) | Blogue Profundo Azul | Livro “Portugal a Quente e Frio”

Sue Nelson | British Broadcasting Company, UK

Jornalista, escritora e apresentadora de programas de ciência na BBC, cadeia britânica de rádio e televisão. Apresenta regularmente programas na BBC Radio 4 e na BBC World Service. Produz programas de rádio para o Natural Environment Research Council do Reino Unido e organiza anualmente o encontro da British Science Association. Para além da produção de programas e da escrita científica, cria histórias de ficção (com várias curtas metragens apresentadas em festivais) e dá formação a investigadores sobre técnicas de comunicação (www.boffinmedia.co.uk).

Ligações: Citizen Science (BBC Radio 4) | Britain’s Modern Brunels (BBC Radio 4) | Livro “How to clone the perfect blonde” | Twitter

Ana Godinho | Instituto Gulbenkian de Ciência

Dirige a Unidade de Comunicação de Ciência e Relações Externas do IGC. Tem vários anos de experiência profissional em comunicar ciência com o público, escolas e os media, tendo estado no Scientific Communications Officer do Institute of Stem Cell Research de Edimburgo, Reino Unido. É doutorada em Neurobiologia pela Universidade de Londres e mestre em Comunicação de Ciência pela Open University.

Ligações: Instituto Gulbenkian de Ciência | Projecto Comunicar CiênciaEntrevista a Ana Godinho (Neuromedia Corner)

Painel:
Teresa Firmino
, Jornal Público
Sue Nelson
, British Broadcasting Corporation, UK
Moderador:
Ana Godinho, Instituto Gulbenkian de Ciência
Relator:
Nicolau Ferreira, Jornalista


Este texto integra o dossier especial criado para o Workshop Ciência, Política e os Media (15 de Abril de 2010, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa)

Con(s)Ciência para compreender o Mar

A SCIAENA não é uma típica organização ambiental. É a associação de ciências marinhas e cooperação. A vontade de cooperar estende-se a todos, organizações e indivíduos. Incluir a sociedade civil na comunicação de ciência, com a participação activa do cidadão. Desde 2006, que a SCIAENA envolve quem estuda e usa a zona costeira. Pode ser cientista quem participa no inventário de biodiversidade. Pode ajudar à mudança de leis quem quer participar. Com a nossa costa plena de riqueza de fauna e flora, somos convidados a compreender o mar.

Dia 16 de Novembro passou na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, o documentário The end of the Line (aqui anunciado no blog). Esta foi a primeira iniciativa da PONG-Pesca Plataforma de Organizações Não-Governamentais sobre a Pesca –. Quase 400 participantes assistiram ao impacto da sobrepesca nos nossos oceanos. “Além de um retrato catastrófico, é um filme motivador, por transmitir esperança na mudança de atitudes dos consumidores”, comenta Bárbara Horta e Costa. Este filme independente quer envolver toda a gente no que é uma decisão política. Um pequeno debate no final do filme, envolveu o autor da obra, ambientalistas, investigadores, um representante de uma parte do sector da pesca e dirigentes públicos.

A SCIAENA, associação de ciências marinhas e cooperação, sempre agiu para “fazer esta ponte entre a ciência e as pessoas”, diz-nos Bárbara, presidente da associação. A exibição do The end of the Line foi pensada neste sentido pela SCIAENA e outras quatro ONGA’s (LPN, Quercus, SPEA e GEOTA). Com a exibição pública do filme, queria-se incluir o participante, envolvê-lo na procura de respostas de sustentabilidade. Foi o primeiro evento desta plataforma, que têm como objectivo fortalecer a presença e representatividade do terceiro sector neste campo. Em Portugal e no resto da União Europeia, até ao final de 2009, a renovação da Política Comum das Pescas (PCP) está aberta a propostas da sociedade civil. Membros da PONG -Pesca- Plataforma de Organizações Não-Governamentais sobre a Pesca – estão agora activamente envolvidos, a desenvolver uma resposta para esta que será a terceira PCP.

Desta forma, com a co-coordenação da LPN e SCIAENA, a PONG-pesca- conspira por uma exploração sustentável dos recursos pesqueiros, Simultaneamente, a SCIAENA quer afirmar a importância do terceiro sector para implantar e gerir a rede Natura 2000, em meio marinho. A Natura 2000 marinha é uma rede a ser implantada de habitats de espécies raras ou ameaçadas a conservar. Tal como a maioria das iniciativas privadas de utilidade pública, a dedicação a estes projectos vem do trabalho voluntário. E, sem dúvida, envolver as pessoas directamente a melhor forma de comunicar o que se faz.

O Bioblitz é um inventário em 24 horas dos organismos vivos numa determinada área. Organizado pela SCIAENA em 2008 em Faro, dois Bioblitz vão ocorrer em 2010, desta vez nos meios fluvial e marinho! Em Faro fez-se um levantamento da biodiversidade pelo grupo de voluntários. Em Alviela, dias 5 e 6 de Junho de 2010 e na ria do Alvor em Outubro, coopera-se para um levantamento da biodiversidade. Com o trabalho de campo, todos cooperam para fazer ciência. A acompanhar os Bioblitz em Portugal, encontramos acções de divulgação que despertam a consciência ecológica da diversidade.

E com que apoios se desenvolvem estas  e outras actividades da SCIAENA? Na projecção do End of The Line colaboraram a coligação Ocean 2012, o Pew Environment Group e a Fundação Calouste Gulbenkian. Para iniciativas locais, como é o caso do Bioblitz em Alviela é importante o envolvimento da Câmara Municipal de Santarém. E o que puxa pessoas para esta associação com nome de género de peixe? Consciência, conforme explica Bárbara Horta e Costa, de que é preciso envolver as pessoas directamente na ciência da SCIAENA, de que “é preciso ter uma relação emocional”.

Publicado por João Cão

Hoje: James Watson na Gulbenkian

O mini-post vai em cima da hora, mas serve o dito apenas para dizer James Watson dará hoje um seminário intitulado “Cure Cancer Today, Not Tomorrow” no Auditório 2 da Fundação Gulbenkian, em Lisboa, às 16:00. A entrada é livre, mas os interessados devem inscrever-se por email para andrewtasker@fchampalimaud.org.

Mais informação aqui.

Publicado por Ana Confraria

Darwin e o seu professor vão ao teatro

oprofessordedarwin3Darwin continua em alta na Fundação Calouste Gulbenkian. Depois da inauguração da exposição “A evolução de Darwin”, a 12 de Fevereiro, perfila-se já a estreia da peça “O professor de Darwin”, peça da autoria Hélder Costa levada a cena pela Companhia de Teatro A Barraca.A peça  apresenta ao público o professor John Henslow, de importante influência na formação do jovem Charles Darwin e a tertúlia que ele organizou na Universidade de Cambridge, berço de brilhantes cientistas e filósofos ingleses e irlandeses do século XIX.

Debruça-se ainda sobre temas universais como esclavagismo, racismo e nazismo, e também aborda o debate actual entre ciência e criacionismo.

O espectáculo promete poesia, música e humor para uma comunicação mais directa e lúdica com o público. Representado por uma actriz (Susana Costa) e dois actores (Sérgio Moras e Sérgio Moura Afonso), tem a duração de 1 hora.

Os espectáculos realizam-se no Auditório 3, da Fundação Calouste Gulbenkian, às 15h, nos dias 21 de Fevereiro, 14 e 28 de Março, 4 e 18 de Abril e 9 de Maio. O bilhete custa 4 euros e inclui visita à exposição “A evolução de Darwin”

Darwin e o canto dos canários cegos

darwineopiriquitoA Barraca apresenta Darwin em dose dupla. Apresenta também, mediante marcação para escolas, a peça “Darwin e o canto dos canários cegos”, que acompanha a viagem de Darwin à roda do mundo, durante quatro anos, no navio Beagle.

«Durante este espectáculo o público vai assistir ao aventuroso e dificil percurso do extraordinário cientista inventor da teoria da evolução das espécies (…) E foi durante essa viagem que assumiu o compromisso de lutar contra a escravidão depois de ter assistido a um negro cortar a sua própria língua; tinham-no cegado para cantar melhor como faziam com os canários… Esse crime traumatizou-o para sempre, e foi com o auxilio de Emma, sua mulher e companheira de investigação que superou os medos e as hesitações de ordem religiosa que o afligiam», escreveu-se no texto promocional da peça.

Publicado por Sílvio Mendes