Tag Archives: ciência

Entrevista (com humor)

ImageFicar sem financiamento para a ciência tem graves consequências. Entrevistámos um professor universitário que trabalha em investigação, mas que, devido aos cortes do Governo, ficou sem condições para poder trabalhar. 

 

 

– Boa tarde, professor.
– Boa tarde.
– Antes de mais, obrigado por ter aceitado o convite e nos conceder esta entrevista.
– Ora essa.
– Gostaria de começar por lhe pedir que explicasse para as pessoas lá em casa em que consiste o seu trabalho.
– Com certeza. O meu trabalho consiste em desenvolver moléculas capazes de criar partículas que estão envolvidas na resposta inflamatória.
– Podia ser mais específico, professor?
– Não só podia, como irei sê-lo.
– Óptimo.
– O senhor já teve alguma vez a garganta inflamada?
– Claro que sim.
– Tomou alguma coisa?
– Na maior parte das vezes, não.
– E na menor parte das vezes?
– Tomei anti-inflamatório.
– Ai foi?
– Foi.
– Pois digo-lhe o seguinte. Os anti-inflamatórios que estão aí no mercado são uma autêntica porcaria.
– Porquê?
– Só fazem mal. Você sabia que pode ter uma úlcera no estômago se tomar Brufen? Mas não se preocupe agora com isso. O que eu faço, respondendo à sua pergunta, é pesquisa científica no âmbito de desenvolver um medicamento realmente indicado para combater as inflamações.
– E como estão a correr as coisas?
– Desde que o Governo resolveu fazer estes cortes todos na investigação, não muito bem.
– Tem financiamento para poder ter o material necessário e fazer os devidos ensaios no seu laboratório?
– Na verdade, não.
– E tem financiamento para poder ter uma equipa de investigadores a trabalhar consigo?
– Também não.
– Quer isto dizer que está neste momento a trabalhar com dificuldades?
– Sim, admito que não está a ser fácil. Para você ter uma ideia, a câmara de fluxo laminar avariou no outro dia, e desde então quando quero trabalhar em condições de assepsia, acendo um cigarro ao canto da boca e espero que o fumo afaste as possíveis contaminações das minhas culturas celulares.
– Os microbiólogos costumam trabalhar à chama….
– À chama?! Você já viu o perigo que isso é?!
– Pois… realmente…. Mas pode falar um pouco mais sobre a sua pesquisa?
– O que pretende saber ao certo?
– Quais são as substâncias que o professor está a testar na resposta inflamatória?- Pinnae pullum.
– Nunca ouvi falar. Consegue explicar o que é?
– Ora bem, basicamente é, digamos, pena de galinha.
– Pena de galinha?!
– Sim.
– O facto de usar pena de galinha nas suas pesquisas é uma decisão que tem a ver com os cortes do Governo?
– Não. Na verdade foi uma opção minha. Mas atenção, não pense que é uma pena de galinha qualquer.
– Então?
– É uma pena de galinha que é diluída em água sucessivas vezes.
– Como é que se dilui pena de galinha em água?
– Também não vai querer que eu lhe conte tudo, pois não?
– Sabe, é que sou levado a crer que o professor faz investigação em homeopatia.

(pequena pausa de estupefacção de ambas as partes) 

– Homeopatia?! Você é doido?! Acha que eu ando aqui a nadar em dinheiro? Você sabe a quantidade de água que é preciso ter para fazer investigação em homeopatia? Oiça o seguinte. Nós no laboratório não temos dinheiro para extravagâncias. Pura e simplesmente não temos. Eu apenas estou autorizado a gastar 800 litros de água por dia. Como acha que podia fazer investigação em homeopatia?
– Mas mesmo em condições precárias, consegue ter resultados com a sua pesquisa científica?
– Consigo. Mas não com a pena de galinha na resposta inflamatória. Devido à escassez de fundos, ficámos sem os ratinhos de laboratório. Agora as únicas cobaias a que tenho direito são dois gatos abandonados por semana. Não ajuda lá muito nos ensaios.
– Pois. Então tem tido resultados em quê?
– Astrologia.
– Astrologia?!
– Astrologia. E estou a descobrir coisas fascinantes.
– Quer partilhar connosco, professor?
– Com certeza. Por exemplo, as pessoas que nasceram em Maio têm que ter em conta que as mudanças nem sempre são fáceis, especialmente quando nos habituamos a algo ou alguém. No entanto são por vezes necessárias, para que haja renovação.
– …..
– Não acredita, é?
– Não digo que não acredito, mas é um pouco vago. Não nos quer dar outro exemplo?
– Com certeza. Quem nasceu em Novembro, esta semana pode receber uma informação importante, ou um sinal, e sentirá a energia do movimento a voltar à sua vida.
– Pois…
– O senhor nasceu em que mês?
– Agosto.
– Então posso-lhe dizer que deve confiar na sua sabedoria interior, assim como ouvir os outros, para poder atingir o equilíbrio.
– Obrigado pelo conselho, professor. Além das penas de galinha na resposta inflamatória e da Astrologia, existe mais algum projecto em que esteja envolvido?
– Por enquanto, não. Mas posso-lhe dizer que se o Governo continuar com estes cortes, vou ponderar entrar para a política. Irónico, não é? Mas digo-lhe o seguinte: eu é que ainda vou fazer a diferença. Quer que lhe conte das minhas ideias para dinamizar o nosso país? Sabe, é que eu tenho um primo que é Secretário de Estado e…
– Obrigado, professor, mas estamos sem tempo. Temos que ficar por aqui.
– Se você o diz…
– Obrigado pela entrevista, e até a uma próxima.
– Ora essa. Eu é que agradeço.

Publicado por Pedro Lino

Anúncios

Saúde Pública (com humor)

Image

A verdade é esta: entre a meia-noite e as seis da manhã, até os mais esquisitos e mesquinhas com a comida se salivam com a bela gastronomia nocturna das barracas e das roulotes. Podemos ser perfeccionistas com a alimentação e caprichosos com a higiene, mas quando tarde e a más horas se trata, de nada adianta.
E porquê?
Tomei a liberdade de desenvolver uma equação com base em resultados experimentais:

p(A) + p(B) = µ

 Onde:

p(A) = probabilidade de encontrar estabelecimentos de restauração abertos durante a madrugada

p(B) = probabilidade de a malta ter ingerido elevadas quantidades de etanol

µ = qualquer baiuca serve para nos salvar da fome

Eis que certa noite, depois de algumas horas de divertimento, parei com alguns amigos numa caixa com rodas que vendia pizzas, hambúrgueres, cachorros, bifanas e afins. Havia um pequeno balcão que suportava um compartimento com alface, tomate e milho. Também havia cogumelos, e garanto-vos que estes não eram os únicos fungos presentes.

Era possível visualizar uma grande frigideira com aspecto de ter sido usada durante a Primeira Guerra Mundial e nunca mais ter sido lavada desde então, quando um velho senhor – com, no máximo, três dentes – indagou: «O que é que vai ser?»
Os pedidos foram dos mais variados, desde o hambúrguer com drosófila, ao cachorro com ácido desoxirribonucleico de roedor, e até havia o Menu Salmonela.

Fomos para casa satisfeitos, sem a noção do corajoso acto, que consistiu em colocar o nosso sistema imunitário à prova. No dia seguinte, restou-me agradecer por ter a vacina do tétano em dia.

Publicado por Pedro Lindo

Envelhecer (com humor)

6

Um fenómeno biológico que acho interessante é o envelhecimento. O envelhecimento é da responsabilidade (não só mas também) dos telómeros, que são as extremidades dos cromossomas, onde se encontra o DNA. Há quem diga que quem nos faz envelhecer é o nosso chefe, o que também pode ser verdade.

A Gerontologia é a ciência que estuda o envelhecimento (não confundir com ginecologia!). Assim como qualquer fenómeno biológico, também o envelhecimento e longevidade têm genes responsáveis. Como tal, existem cientistas que andam à procura destes genes. É um trabalho um bocado ingrato, porque se há dois investigadores que andam atrás do mesmo gene, quem o descobrir primeiro, estraga o trabalho do outro. Tal como acontece quando dois homens andam atrás da mesma mulher: o primeiro a conseguir ir para a cama com ela estraga o trabalho do outro desgraçado.

A alimentação também é importante. Têm sido realizados estudos para determinar quais os alimentos que favorecem a longevidade. Claro que todos nós teremos um dia que morrer, mas prolongar esse dia é algo que muitas pessoas desejam, quando mais não seja para poderem ver Portugal ganhar o Festival Eurovisão da Canção.

No entanto, não é só a alimentação que é importante. Um médico uma vez disse-me que uma corrida matinal pode acrescentar anos à nossa vida. É verdade, e eu posso comprová-lo: no outro dia fui correr, e quando cheguei a casa parecia que tinha 30 anos a mais.

Mas há quem consiga escapar ao envelhecimento. Chama-se Nutricula Turritopsis e é uma medusa que, ao contrário dos demais seres vivos, não envelhece. Em vez disso, regenera as suas células e torna-se jovem vezes e vezes sem conta. Só espero que o Governo não desconfie que existem cientistas a estudarem as células destas medusas. Que, bestas como os nossos ministros são, ainda pensam que os humanos também o conseguirão fazer, e aí terão mais uma desculpa para aumentarem a idade da reforma.

Publicado por Pedro Lino

Ciência lá fora (3): Uma Invasão e os Museus de Ciência

Leão na exposição "Invasão da Casa Andresen" - autoria da foto: João Monteiro

Leão na exposição “Invasão da Casa Andresen” – autoria da foto: João Monteiro

Terceiro post da categoria “Ciência lá fora”, que tem o intuito de dar a conhecer iniciativas de divulgação de ciência que decorram pelo país. Esta secção pode ser vista como uma espécie de agenda ou guia de sugestões de actividades de divulgação científica destinadas ao público.

DESTAQUES:
//
 Para quem gosta de animais e da vida selvagem, sugiro uma visita à exposição Invasão à Casa Andresen – animais de museu, que pretende recriar um espaço em que animais exóticos invadiram a casa que pertenceu aos familiares da escritora Sophia de Mello Breyner Andresen. Mas há mais! Todo este piso está às escuras, pelo que os visitantes terão de usar as lanternas entregues à entrada para explorar este espaço, em que os animais preservados através de um inovador processo de taxidermia se encontram em posições naturais e em equilíbrios prodigiosos quase impossíveis.
No piso superior explica-se então o que é a taxidermia, e como foi possível obter os animais preservados naquelas posições deslumbrantes.                                            As crianças com menos de 5 anos não pagam a entrada; crianças, idosos e com cartão jovem pagam 1,5€ e adultos pagam 2,5€. A exposição está aberta de terça-feira a sexta-feira das 14h às 22h, e no fim-de-semana das 10h às 22h.            Data: 18 de Maio a 18 de Novembro de 2013                                                                  Local: Jardim Botânico do Porto, Rua do Campo Alegre, 1191

// O Museu da Ciência de Coimbra oferece-nos algumas actividades para os próximos dias. Comecemos com a exposição interactiva Alberti Digital que nos permite ficar a conhecer a influência de Leon Battista Alberti (1404-1472) na arquitectura. Os sábados são dias de ateliers para os mais novos. Este sábado, dia 15 de junho, é dedicado à exploração dos céus, dando a conhecer o funcionamento de vários transportes aéreos, do balão ao foguetão.

// Também o Museu Nacional de História Natural e da Ciência, em Lisboa, tem várias actividades para os próximos dias: Actividade de animação cultural Dança e Movimento dirigida aos mais novos, e Tardes de Origami com matemática à mistura, no sábado dia 15 de Junho. Para quem quiser saber mais sobre a história do universo, a formação do nosso planeta e a evolução da vida na terra, pode visitar a exposição Do Big-Bang ao observador cósmico, na Sala Bocage, das 16h às 18h, de domingo, 16 de Junho.

OUTROS EVENTOS:
Actividade, saída de campo, conferências: Earthcaching Weekend
Data: 15 e 16 de Junho, 10h
Local: Centro de Ciência Viva de Estremoz

Palestra: Dinossauros – novas técnicas, velhos mitos
Data: 14 de Junho, 21h30
Local: Biblioteca Municipal de Silves

Conversas, passeio: Há vida no Parque – Répteis
Data: 14 e 15 de Junho (horários: ver ligação)
Local: Fundação Serralves – Porto

SUGESTÃO:
Vídeo de educação ambiental do projecto Charcos com VidaEste projecto tem envolvido escolas de todo o país.

Publicado por João Lourenço Monteiro

Ciência lá fora: Do Circo ao Museu

exposicao03

Imagem da exposição “Animais de Museu” (Porto)

Este é o primeiro post em que estreio a categoria “Ciência lá fora”, com o intuito de dar a conhecer iniciativas de divulgação de ciência que decorram pelo país. Esta secção pode ser vista como uma espécie de agenda ou guia de sugestões de actividades de divulgação científica destinadas ao público.

DESTAQUES:
//
O Museu Nacional de História Natural e da Ciência, em Lisboa, organiza o evento Circo Matemático, no dia 1 de Junho, às 16h, no Anfiteatro Laboratorio Chimico. Requer marcação prévia para o e-mail geral@museus.ul.pt. O preço é de 3€.

// O Museu Nacional de História Natural e da Ciência, está a organizar a iniciativa de animação cultural Férias no Museu – Verão 2013.
As datas em que a iniciativa se irá desenvolver são: 1-5 Julho / 8-12 Julho / 2-6 Setembro. Em cada dia há dois módulos de actividade, um de manhã, das 9h30 às 12h30 e outro à tarde, das 14h00 às 17h00.
Estas actividades são dirigidas a um público jovem, dos 6 aos 12 anos de idade, e têm um preço de 12,5€ por módulo.
É necessária marcação prévia através dos seguintes contactos:
Tel: 213 921 808 / e-mail: geral@museus.ul.pt – para saber mais clique aqui

OUTROS EVENTOS:
Exposição: Animais de Museu

Data: De 18 de Maio a 18 de Novembro de 2013
Local: Casa Andresen, Jardim Botânico do Porto

60+ Ciência – Séniores
Data: 6 de Junho
Local: Centro Ciência Viva de Bragança

Exposição: T-rex: quando as galinhas tinham dentes
Data: Até Agosto de 2013
Local: Pavilhão do Conhecimento (Lisboa)

Actividade: Descobrindo o sol
Data: 1 de Junho, 16h
Local: Centro Ciência Viva do Algarve (Faro)

SUGESTÃO:
Actividades pedagógicas sobre plantas invasoras em Portugal (Projecto Invasoras)

Publicado por João Lourenço Monteiro

Festival brasileiro aceita vídeos de um minuto sobre ciência


O Festival do Minuto convoca todos os interessados a participar com vídeos sobre ciência, com a duração máxima de um minuto. As candidaturas são aceites até 27 de Outubro e os melhores trabalhos podem ser premiados com computadores portáteis. O evento tem sede no Brasil mas aceita candidaturas de todo o mundo.

Como Participar (a partir do comunicado de imprensa)
«Para participar do festival, nada melhor do que deixar a imaginação fluir sobre qualquer ciência, seja ela exacta, humana ou sobre a vida. Ciência da computação, engenharia, física, matemática, química, zootecnia, botânica, biologia, antropologia… E, como sempre, valem vídeos de 60 segundos em qualquer formato: filmes de animação, vídeos feitos com câmeras digitais, celular, ipad etc. O que vale, mais uma vez, é a criatividade.»

 Sobre o Festival do Minuto (a partir do comunicado de imprensa)
«O Festival do Minuto foi criado no Brasil, em 1991, e propõe a produção de vídeos com até um minuto de duração. É, hoje, o maior festival de vídeos da América Latina e também o mais democrático, já que aceita contribuições de amadores e profissionais, indistintamente. A partir do evento brasileiro, o Festival do Minuto se espalhou para mais de 50 países, cada um com dinâmica e formato próprios.»

Para saber mais sobre o Festival Minuto: Website | Facebook | Twitter

Publicado por Sílvio Mendes

Colaboração Camané/Sérgio Godinho: Eis uma possível raíz para os fados de ciência


Partimos para o fim-de-semana com um fado para a ciência (e de ciência, se nos permitem o exagero). Letra e música de Sérgio Godinho, oferecidas à voz elegante de Camané. Sonhar durante o fado integra o álbum Sempre de mim (2008) e, às páginas tantas, canta-se assim:

«A peça
Que partiu só se conserta
Se alguém de dentro
Fizer melhor
E na janela
Ficar aberta
Em todo, a transparência
E o amor, como a ciência
À vez verificado
Como o destino é o presente do passado
Sonhar durante o fado
Sonhar durante o fado»

Publicado por Sílvio Mendes