Tag Archives: Ciência com humor

A Culpa é da Genética (com humor)

9

Sempre achei a genética fascinante. Não raras vezes ouvimos as pessoas comentarem: «Não sei a quem é que a criança sai. O pai é moreno, a mãe é morena, e o puto é loiro».
Enquanto as mentes mais maliciosas pensam em qual será a cor do cabelo do carteiro ou do canalizador, Mendel há muito que desvendou o mistério. Trata-se de um fenómeno de heterozigotia, o que significa que os pais possuem alelos diferentes do mesmo gene. Em outras ocasiões também pode ser devido a um processo biológico conhecido como adopção.

Seja como for, a genética tem sempre a culpa. Recentemente, um grupo de investigadores descobriu que existe um gene (com o simpático nome de RASGRF-2) que é responsável pelo alcoolismo. Curiosamente também foi descoberto um factor genético que é responsável pela sensação de bem-estar no momento em que se ingere cerveja e se assiste a um jogo de futebol – chama-se cromossoma Y.

A genética tem-nos surpreendido muito. Vários estudos têm apontado para o facto de os humanos se terem cruzado com o Homem de Neandertal. O que não é difícil de imaginar, se tivermos em conta a mesma linha de raciocínio para o José Castelo Branco e a Betty.

Não menos curioso são alguns estudos que afirmam que os humanos herdaram genes do tabagismo e da diabetes dos neandertais. Aqui já é suspeito, pois nós, humanos, gostamos muito de deitar as culpas nos outros. Todavia, acredito que os genes responsáveis por deitar as culpas nos outros também possam ter sido herdados dos neandertais.

Importantíssimo ainda é a aplicação da genética no campo da saúde. Há pouco tempo foram descobertos onze genes que estão envolvidos na doença de Alzheimer. No entanto, não me lembro do nome de nenhum deles…

Publicado por Pedro Lino

Anúncios

Ciência em Portugal (sem humor)

ImageRecentemente foram revelados os números que traduzem uma quebra acentuada na atribuição das bolsas de doutoramento no nosso país. Desconfio que, por outro lado, o número de vagas para as jotas do PSD aumentou.
E não é de admirar. Quem é que, nos dias que correm, quer tirar um doutoramento, se pode ter um tacho na autarquia onde o primo-afastado-mas-que-ainda-assim-é-da-família trabalha?

Abaixo a ciência, não precisamos dela. Fechem todos os laboratórios, são supérfluos. Acabem com as universidades, só dão prejuízo. Aplicações e patentes? São inúteis. Eu tenho algumas ideias que penso serem melhores. Ei-las:

– Criar a BV (Bolsa de Vereador), com duração de 4 anos, podendo ser renovável por mais 4. O valor da bolsa corresponde a 1950€ + vales de refeição, que são 6 por dia.

– Inaugurar a FABPN (Fundação Ajudem o Banco Português de Negócios), que se dedica à angariação de fundos para injectar na respectiva identidade bancária.

– Criar o FMIPPAJJ (Fundo Monetário Ilimitado Para as Políticas do Alberto João Jardim), com o objectivo de apoiar a dívida da Região Autónoma da Madeira, assim como o fogo-de-artifício utilizado no Réveillon.

Estas são apenas algumas sugestões. Penso que são políticas como estas que devem andar para a frente, e não questões desnecessárias como «De onde nascem as ideias, a investigação e o desenvolvimento?». Se por acaso surgir algum novo vírus que seja uma ameaça para a saúde humana, aplicamos-lhes um submarino e um estádio de futebol, que fica o problema resolvido.

Publicado por Pedro Lino

Saúde Pública (com humor)

Image

A verdade é esta: entre a meia-noite e as seis da manhã, até os mais esquisitos e mesquinhas com a comida se salivam com a bela gastronomia nocturna das barracas e das roulotes. Podemos ser perfeccionistas com a alimentação e caprichosos com a higiene, mas quando tarde e a más horas se trata, de nada adianta.
E porquê?
Tomei a liberdade de desenvolver uma equação com base em resultados experimentais:

p(A) + p(B) = µ

 Onde:

p(A) = probabilidade de encontrar estabelecimentos de restauração abertos durante a madrugada

p(B) = probabilidade de a malta ter ingerido elevadas quantidades de etanol

µ = qualquer baiuca serve para nos salvar da fome

Eis que certa noite, depois de algumas horas de divertimento, parei com alguns amigos numa caixa com rodas que vendia pizzas, hambúrgueres, cachorros, bifanas e afins. Havia um pequeno balcão que suportava um compartimento com alface, tomate e milho. Também havia cogumelos, e garanto-vos que estes não eram os únicos fungos presentes.

Era possível visualizar uma grande frigideira com aspecto de ter sido usada durante a Primeira Guerra Mundial e nunca mais ter sido lavada desde então, quando um velho senhor – com, no máximo, três dentes – indagou: «O que é que vai ser?»
Os pedidos foram dos mais variados, desde o hambúrguer com drosófila, ao cachorro com ácido desoxirribonucleico de roedor, e até havia o Menu Salmonela.

Fomos para casa satisfeitos, sem a noção do corajoso acto, que consistiu em colocar o nosso sistema imunitário à prova. No dia seguinte, restou-me agradecer por ter a vacina do tétano em dia.

Publicado por Pedro Lindo

Envelhecer (com humor)

6

Um fenómeno biológico que acho interessante é o envelhecimento. O envelhecimento é da responsabilidade (não só mas também) dos telómeros, que são as extremidades dos cromossomas, onde se encontra o DNA. Há quem diga que quem nos faz envelhecer é o nosso chefe, o que também pode ser verdade.

A Gerontologia é a ciência que estuda o envelhecimento (não confundir com ginecologia!). Assim como qualquer fenómeno biológico, também o envelhecimento e longevidade têm genes responsáveis. Como tal, existem cientistas que andam à procura destes genes. É um trabalho um bocado ingrato, porque se há dois investigadores que andam atrás do mesmo gene, quem o descobrir primeiro, estraga o trabalho do outro. Tal como acontece quando dois homens andam atrás da mesma mulher: o primeiro a conseguir ir para a cama com ela estraga o trabalho do outro desgraçado.

A alimentação também é importante. Têm sido realizados estudos para determinar quais os alimentos que favorecem a longevidade. Claro que todos nós teremos um dia que morrer, mas prolongar esse dia é algo que muitas pessoas desejam, quando mais não seja para poderem ver Portugal ganhar o Festival Eurovisão da Canção.

No entanto, não é só a alimentação que é importante. Um médico uma vez disse-me que uma corrida matinal pode acrescentar anos à nossa vida. É verdade, e eu posso comprová-lo: no outro dia fui correr, e quando cheguei a casa parecia que tinha 30 anos a mais.

Mas há quem consiga escapar ao envelhecimento. Chama-se Nutricula Turritopsis e é uma medusa que, ao contrário dos demais seres vivos, não envelhece. Em vez disso, regenera as suas células e torna-se jovem vezes e vezes sem conta. Só espero que o Governo não desconfie que existem cientistas a estudarem as células destas medusas. Que, bestas como os nossos ministros são, ainda pensam que os humanos também o conseguirão fazer, e aí terão mais uma desculpa para aumentarem a idade da reforma.

Publicado por Pedro Lino