Tag Archives: Associação Juvenil de Ciência

Con(s)Ciência: Em Gondomar, o namoro juvenil da Terra

Esta semana a Con(s)Ciência leva-nos até Gondomar. Ali, a partir da Escola Secundária de Gondomar nasceu o Geoclube. Dedicados à Ciência, Natureza e Aventura, os alunos finalistas deram continuidade ao trabalho iniciado pelos professores no ano de 1999.

O clube nasceu na Escola a partir da iniciativa enérgica de três professores. No último fim-de-semana, aquele Geoclube celebrou 11 anos e é autónomo da Escola Secundária. Carlos Ferreira é um dos fundadores da Associação e explica-nos como evoluiu. Ela promove actividades regulares, como a Caminhada de Manteigas a Penhas douradas, o acampamento de final de ano, o magusto e desfolhada do milho, em parcerias. Mas também, entre outras iniciativas, trabalha com o Programa Juventude em Acção da UE, com Intercâmbios e formações internacionais. Acções que podem ser descobertas no sítio da associação.

E qual é a próxima actividade de assinalar do Geoclube? A Feira de minerais e fósseis. “Uma tradição que já se começa a implementar em Gondomar”, diz-nos Carlos. Entre os dias 10 e 12 de Fevereiro no hall de entrada da Biblioteca Municipal de Gondomar. É um bom pretexto para visitar a cidade. Mesmo no fim-de-semana antes do dia dos namorados. Mesmo ao lado, vai estar o Salão Erótico do Porto. Mas com certeza que há tempo para vir namorar e conquistar tesouros da geologia.

Entrevista exclusiva a Carlos Ferreira do Geoclube  (09:59)


Publicado por João Cão

Con(s)ciência juvenil

A Associação Juvenil de Ciência (AJC) é a única associação científica em Portugal dirigida e constituída por jovens. Neste momento com mais de 1600 membros espalhados pelo País. Juntos nesta rede cooperativa, investem na divulgação científica e em projectos de investigação e desenvolvimento. Formalizada em 1987, a AJC desenvolve feiras de ciência, debates, fins-de-semana científicos, palestras e encontros que envolvem os “jovens da ciência” e as localidades anfitriãs. Para uma geração com um ensino científico pobre de base, a AJC parece um bom sítio para ganhar con(s)ciência…

A principal actividade desenvolvida pela Associação Juvenil de Ciência (AJC) é o Encontro Juvenil de Ciência (EJC). Funciona como um congresso científico para jovens dos 15 aos 23 anos. Quem participa, vem partilhar o seu conhecimento, apresentando um trabalho de investigação. “Que poderá ser teórico”, acrescenta Francisco Ruivo, membro da Direcção eleito em Outubro passado. Durante 11 dias, na primeira quinzena de Setembro, o EJC é também uma oportunidade de explorar os arredores. O próximo encontro vai ser em Braga. Os cerca de 60 jovens poderão contar com visitas, actividades desportivas e convívio científico com palestras, debates e grupos de trabalho.

Com as mãos na ciência desde 1987, ano em que foi formalizada, a AJC já tem uma tradição na organização de eventos de e para jovens. O Encontro de Jovens Investigadores (EJI) existiu durante 15 anos como uma boa oportunidade para divulgar e comunicar projectos de ciência nas escolas durante alguns dias das férias da Páscoa. O último ocorreu em Santa Comba Dão. Paula Figueira, que fez parte da organização deste encontro, descreve-nos um impacto “bastante positivo”.

O dinamismo desta associação de jovens parte dos grupos regionais espalhados por Portugal. Vários grupos dinamizam actividades em campos diversos. Destacam-se o Grupo de Imagem e Fotografia, o Grupo de Estudo de Recursos Ambientais e o Grupo de Técnicas Aeroespaciais. Este último grupo visita escolas e ajuda na construção de microfoguetes, uma espécie de miniatura dos rockets que partem para o Espaco. “Uma introdução teórica é adaptada ao público alvo”, garante Francisco Ruivo.

Os resultados da recente reunião anual da AJC promete também envolver-nos em novas actividades. “Várias feiras de ciência vão representar a AJC pelo País”, descortina Francisco, o jovem tesoureiro. O apoio destas actividades passa pelo Programa de Apoio Juvenil (PAJ), Instituto Gulbenkian, autarquias locais e outros apoios pontuais.

Os melhores projectos de investigação juvenil tambem têm viajado além fronteiras com a AJC. A feira de ciência I-SWEEEP 2008 em Houston premiou o trabalho “Micropropagation of an endangered plant species” dos jovens Catarina Almeida, Nicole Rodrigues e Pedro Loução da Escola Secundária de Odemira com a medalha de prata. São bons resultados e uma boa representação da ciência dos jovens de Portugal.

Qual a imagem que a sociedade tem dos jovens? Uma falta de interesse crescente pelas ciências básicas, a matemática “à rasca”… “No meu tempo é que era…” diria o velho senhor. Francisco concorda. Hoje em dia “o nível de exigência é tão baixo”, a “carência por parte dos programas é enorme!” Ao transitar para o Ensino Superior, o aluno “embate-se com outra realidade”. E o que falta ao estudante do Secundário? Francisco sublinha as necessidades de método e de pensamento crítico, que podem ter resposta nas actividades da AJC. Quem participa, enriquece e diverte-se, ganha novos contactos e uma consciência renovada.

Mais: Associação Juvenil de Ciência, o sítio | I-SWEEEP 2008, vencedores da olimpíada

Publicado por João Cão