Category Archives: Financiamento de Ciência

Entrevista (com humor)

ImageFicar sem financiamento para a ciência tem graves consequências. Entrevistámos um professor universitário que trabalha em investigação, mas que, devido aos cortes do Governo, ficou sem condições para poder trabalhar. 

 

 

– Boa tarde, professor.
– Boa tarde.
– Antes de mais, obrigado por ter aceitado o convite e nos conceder esta entrevista.
– Ora essa.
– Gostaria de começar por lhe pedir que explicasse para as pessoas lá em casa em que consiste o seu trabalho.
– Com certeza. O meu trabalho consiste em desenvolver moléculas capazes de criar partículas que estão envolvidas na resposta inflamatória.
– Podia ser mais específico, professor?
– Não só podia, como irei sê-lo.
– Óptimo.
– O senhor já teve alguma vez a garganta inflamada?
– Claro que sim.
– Tomou alguma coisa?
– Na maior parte das vezes, não.
– E na menor parte das vezes?
– Tomei anti-inflamatório.
– Ai foi?
– Foi.
– Pois digo-lhe o seguinte. Os anti-inflamatórios que estão aí no mercado são uma autêntica porcaria.
– Porquê?
– Só fazem mal. Você sabia que pode ter uma úlcera no estômago se tomar Brufen? Mas não se preocupe agora com isso. O que eu faço, respondendo à sua pergunta, é pesquisa científica no âmbito de desenvolver um medicamento realmente indicado para combater as inflamações.
– E como estão a correr as coisas?
– Desde que o Governo resolveu fazer estes cortes todos na investigação, não muito bem.
– Tem financiamento para poder ter o material necessário e fazer os devidos ensaios no seu laboratório?
– Na verdade, não.
– E tem financiamento para poder ter uma equipa de investigadores a trabalhar consigo?
– Também não.
– Quer isto dizer que está neste momento a trabalhar com dificuldades?
– Sim, admito que não está a ser fácil. Para você ter uma ideia, a câmara de fluxo laminar avariou no outro dia, e desde então quando quero trabalhar em condições de assepsia, acendo um cigarro ao canto da boca e espero que o fumo afaste as possíveis contaminações das minhas culturas celulares.
– Os microbiólogos costumam trabalhar à chama….
– À chama?! Você já viu o perigo que isso é?!
– Pois… realmente…. Mas pode falar um pouco mais sobre a sua pesquisa?
– O que pretende saber ao certo?
– Quais são as substâncias que o professor está a testar na resposta inflamatória?- Pinnae pullum.
– Nunca ouvi falar. Consegue explicar o que é?
– Ora bem, basicamente é, digamos, pena de galinha.
– Pena de galinha?!
– Sim.
– O facto de usar pena de galinha nas suas pesquisas é uma decisão que tem a ver com os cortes do Governo?
– Não. Na verdade foi uma opção minha. Mas atenção, não pense que é uma pena de galinha qualquer.
– Então?
– É uma pena de galinha que é diluída em água sucessivas vezes.
– Como é que se dilui pena de galinha em água?
– Também não vai querer que eu lhe conte tudo, pois não?
– Sabe, é que sou levado a crer que o professor faz investigação em homeopatia.

(pequena pausa de estupefacção de ambas as partes) 

– Homeopatia?! Você é doido?! Acha que eu ando aqui a nadar em dinheiro? Você sabe a quantidade de água que é preciso ter para fazer investigação em homeopatia? Oiça o seguinte. Nós no laboratório não temos dinheiro para extravagâncias. Pura e simplesmente não temos. Eu apenas estou autorizado a gastar 800 litros de água por dia. Como acha que podia fazer investigação em homeopatia?
– Mas mesmo em condições precárias, consegue ter resultados com a sua pesquisa científica?
– Consigo. Mas não com a pena de galinha na resposta inflamatória. Devido à escassez de fundos, ficámos sem os ratinhos de laboratório. Agora as únicas cobaias a que tenho direito são dois gatos abandonados por semana. Não ajuda lá muito nos ensaios.
– Pois. Então tem tido resultados em quê?
– Astrologia.
– Astrologia?!
– Astrologia. E estou a descobrir coisas fascinantes.
– Quer partilhar connosco, professor?
– Com certeza. Por exemplo, as pessoas que nasceram em Maio têm que ter em conta que as mudanças nem sempre são fáceis, especialmente quando nos habituamos a algo ou alguém. No entanto são por vezes necessárias, para que haja renovação.
– …..
– Não acredita, é?
– Não digo que não acredito, mas é um pouco vago. Não nos quer dar outro exemplo?
– Com certeza. Quem nasceu em Novembro, esta semana pode receber uma informação importante, ou um sinal, e sentirá a energia do movimento a voltar à sua vida.
– Pois…
– O senhor nasceu em que mês?
– Agosto.
– Então posso-lhe dizer que deve confiar na sua sabedoria interior, assim como ouvir os outros, para poder atingir o equilíbrio.
– Obrigado pelo conselho, professor. Além das penas de galinha na resposta inflamatória e da Astrologia, existe mais algum projecto em que esteja envolvido?
– Por enquanto, não. Mas posso-lhe dizer que se o Governo continuar com estes cortes, vou ponderar entrar para a política. Irónico, não é? Mas digo-lhe o seguinte: eu é que ainda vou fazer a diferença. Quer que lhe conte das minhas ideias para dinamizar o nosso país? Sabe, é que eu tenho um primo que é Secretário de Estado e…
– Obrigado, professor, mas estamos sem tempo. Temos que ficar por aqui.
– Se você o diz…
– Obrigado pela entrevista, e até a uma próxima.
– Ora essa. Eu é que agradeço.

Publicado por Pedro Lino

Ciência em Portugal (sem humor)

ImageRecentemente foram revelados os números que traduzem uma quebra acentuada na atribuição das bolsas de doutoramento no nosso país. Desconfio que, por outro lado, o número de vagas para as jotas do PSD aumentou.
E não é de admirar. Quem é que, nos dias que correm, quer tirar um doutoramento, se pode ter um tacho na autarquia onde o primo-afastado-mas-que-ainda-assim-é-da-família trabalha?

Abaixo a ciência, não precisamos dela. Fechem todos os laboratórios, são supérfluos. Acabem com as universidades, só dão prejuízo. Aplicações e patentes? São inúteis. Eu tenho algumas ideias que penso serem melhores. Ei-las:

– Criar a BV (Bolsa de Vereador), com duração de 4 anos, podendo ser renovável por mais 4. O valor da bolsa corresponde a 1950€ + vales de refeição, que são 6 por dia.

– Inaugurar a FABPN (Fundação Ajudem o Banco Português de Negócios), que se dedica à angariação de fundos para injectar na respectiva identidade bancária.

– Criar o FMIPPAJJ (Fundo Monetário Ilimitado Para as Políticas do Alberto João Jardim), com o objectivo de apoiar a dívida da Região Autónoma da Madeira, assim como o fogo-de-artifício utilizado no Réveillon.

Estas são apenas algumas sugestões. Penso que são políticas como estas que devem andar para a frente, e não questões desnecessárias como «De onde nascem as ideias, a investigação e o desenvolvimento?». Se por acaso surgir algum novo vírus que seja uma ameaça para a saúde humana, aplicamos-lhes um submarino e um estádio de futebol, que fica o problema resolvido.

Publicado por Pedro Lino

Invest in Science: uma campanha de vídeos contra os cortes europeus na investigação científica

A campanha Invest in Science arrancou com três vídeos realizados por investigadores da Fundação Champalimaud. O objectivo passa por envolver e alertar os cidadãos e a sociedade para o risco que os cortes na ciência a nível europeu podem representar.

A urgência do assunto (a 22 e 23 de Novembro, os responsáveis da União Europeia reúnem-se para discutir o orçamento da EU para 2014-2020) convoca a participação de todos, através da criação de novos vídeos e/ou da partilha dos já existentes.

A iniciativa surge na sequência carta aberta aos responsáveis europeus (e subsequente petição já com mais de 100 mil assinantes) assinada por 44 laureados com o Prémio Nobel e 6 vencedores da Medalha Fields, que mostra a sua preocupação e alerta para os riscos dos potenciais cortes na ciência.

Publicado por Sílvio Mendes

 

Gulbenkian estimula internacionalização das Ciências Sociais


O Programa para a Internacionalização das Ciências Sociais em Portugal , iniciativa do Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian, vai premiar artigos científicos publicados, ou aceites para publicação, em revistas internacionais de referência durante os anos de 2010 e 2011.

O prémio abrange as áreas de Antropologia, Ciências da Educação, Ciência Política, Demografia, Geografia Humana, História, Relações Internacionais e Sociologia.

Os artigos a concurso devem ter como autores investigadores portugueses (ou estrangeiros quem trabalhem em instituições portuguesas) com idade inferior a 40 anos (em 30 de Setembro de 2012). A organização atribuirá duas distinções, no valor de 5 mil euros cada, aos artigos seleccionados de entre os concorrentes.

O prazo para submissão de candidaturas termina a 31 de Outubro de 2012. Regulamento | Boletim de candidatura

Publicado por Sílvio Mendes

Concurso “Realize o Seu Sonho”: Por que não concorrer com o seu projecto de ciência?

Realize o Seu Sonho é um Concurso de empreendedorismo de âmbito nacional que pretende transformar ideias em planos de negócio viáveis, independentemente da sua formação académica ou idade.
Todos os sonhos são válidos e serão testados através da utilização de um software online e pedagógico (o DreamFactory). Esta ferramenta ajuda a estruturar uma ideia num plano de negócios através da resposta a perguntas e exercícios.

As candidaturas devem ser efectuadas até 15 de Maio, através do portal www.sonho.org. Os melhores projectos serão distinguidos e os Prémios podem ir até 60 mil euros.

A iniciativa tema assinatura da Associação Acredita Portugal, que tem como missão “reforçar e desenvolver a confiança dos Portugueses e nos Portugueses” e realizar sonhos empreendedores.

Serão apreciados preferencialmente:

– Candidatos que demonstrem, por qualquer forma, algum tipo de prévias iniciativas na prossecução do Sonho, e que mantenham ainda elevados graus de motivação;
– Sonhos que demonstrem originalidade, relevância/aplicabilidade prática; actualidade/oportunidade; a profundidade de desenvolvimento e trabalho de pesquisa associado;
– Sonhos que possam vir a ter um impacto de cariz social e/ou economicamente positivo na sociedade e economia portuguesa;
– Sonhos que, pelo empreendedorismo revelado, se diferenciem dos restantes;
– Sonhos que ofereçam maiores probabilidades de sucesso, de continuidade e de sustentabilidade;
– Sonhos susceptíveis de serem co-financiados por outras entidades;
– Sonhos cujas necessidades estejam alinhados com os apoios disponibilizados pelo Acredita Portugal.

Mais informações: Regulamento | Vídeo Promocional | Associação Acredita Portugal

Publicado por Sílvio Mendes

Workshop Ciências em Rede: Encontro multidisciplinar junta investigadores da UL

O Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa recebe, entre os dias 22 e 23 de Novembro, o Workshop Ciências em Rede, evento que pretende criar uma nova rede de interacção entre os investigadores de todas as áreas de investigação da Universidade de Lisboa (UL).
Artes e humanidades, ciências da saúde, ciências sociais, ciências e tecnologia e ciências jurídicas e económicas são algumas das áreas postas em contacto durante o Workshop.

A iniciativa, promovida pela organização do projecto Ciência na UL, destina-se essencialmente a investigadores contratados no âmbito do programa Ciência 2007 e 2008 pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), abrindo, no entanto, as portas a professores, investigadores, alunos e outros interessados da UL.

A sessão de abertura, a 22 de Novembro, contará com as presenças do Prof. João Sentieiro (Presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia) e do Prof. Pedro Veiga (Presidente da Fundação para a Computação Científica Nacional e Pró-Reitor da Universidade de Lisboa).

A entrada é livre mas a inscrição terá, obrigatoriamente, que ser efectuada até dia 15 de Novembro.

Nota: O workshop estava inicialmente previsto para os dias 22, 23 e 24 de Novembro, mas devido à greve geral que está marcada para este último, foi reduzido para dois dias. Para mais informações: Website Workshop Ciências em Rede | Contacto e-mail: ciencia.na.ul[at]reitoria.ul.pt

A República e a Ciência segundo João Caraça

O portal Ciência Hoje recupera um texto de João Caraça (publicado há precisamente um ano), no qual o director do Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian analisa a evolução da Ciência em Portugal, em paralelo com a experiência Republicana e os seus novos paradigmas.

Um texto para reflexão em vésperas do dia de celebração:

A Ciência na República

(clicar no título para abrir)

Publicado por Sílvio Mendes