Category Archives: Associações de Ciência

O mapa da ciência portuguesa no twitter

(actualizado a 25/07/2012 – com informação a negrito sublinhado)

Fomos ao Twitter procurar instituições e entidades portuguesas que produzam e/ou divulguem conhecimento científico. O resultado deu origem à primeira versão de uma lista que inclui mais de 100 contas e que ganhou página própria neste blogue. Estamos, paralelamente, a desenvolver também uma lista de investigadores e comunicadores de ciência portugueses que usem o Twitter.

Para além da lista, desenvolvemos também um mapa com a localização geográfica e respectivos links para as contas twitter das instituições.

Para todos os que publicam regularmente conteúdos sobre ciência (portuguesa) no Twitter, sugerimos o uso da hastag #ciênciaPT. É uma forma de a promover com mais força na referida rede social.

Nota: A lista estará em constante actualização, pelo que qualquer ajuda, sugestão, dica, será sempre bem recebida.
À lista de instituições, acrescentaremos também perfis individuais de divulgadores de ciência no Twitter, mediante solicitação e/ou autorização dos próprios que tenham interesse em integrá-la.

Recapitulando:
:: Lista de instituições e entidades
:: Mapa de instituições e entidades
:: Lista de investigadores e comunicadores

Publicado por Sílvio Mendes

Con(s)Ciência: Em Gondomar, o namoro juvenil da Terra

Esta semana a Con(s)Ciência leva-nos até Gondomar. Ali, a partir da Escola Secundária de Gondomar nasceu o Geoclube. Dedicados à Ciência, Natureza e Aventura, os alunos finalistas deram continuidade ao trabalho iniciado pelos professores no ano de 1999.

O clube nasceu na Escola a partir da iniciativa enérgica de três professores. No último fim-de-semana, aquele Geoclube celebrou 11 anos e é autónomo da Escola Secundária. Carlos Ferreira é um dos fundadores da Associação e explica-nos como evoluiu. Ela promove actividades regulares, como a Caminhada de Manteigas a Penhas douradas, o acampamento de final de ano, o magusto e desfolhada do milho, em parcerias. Mas também, entre outras iniciativas, trabalha com o Programa Juventude em Acção da UE, com Intercâmbios e formações internacionais. Acções que podem ser descobertas no sítio da associação.

E qual é a próxima actividade de assinalar do Geoclube? A Feira de minerais e fósseis. “Uma tradição que já se começa a implementar em Gondomar”, diz-nos Carlos. Entre os dias 10 e 12 de Fevereiro no hall de entrada da Biblioteca Municipal de Gondomar. É um bom pretexto para visitar a cidade. Mesmo no fim-de-semana antes do dia dos namorados. Mesmo ao lado, vai estar o Salão Erótico do Porto. Mas com certeza que há tempo para vir namorar e conquistar tesouros da geologia.

Entrevista exclusiva a Carlos Ferreira do Geoclube  (09:59)


Publicado por João Cão

Crónicas da Corunha (1): A editora de livros de ciência que se atreve a perguntar “por que não?”

Pormenor da Domus (la Casa del hombre), um dos Museus de Ciência da Corunha. Foto: Joana Barros

A Mostra de Ciencia e Cinema da Corunha vai na III Edição (termina amanhã, 30 de Outubro) e é uma verdadeira montra do dinamismo que se concentra à volta da divulgação científica nesta cidade galega. Exemplos disso são os três (!) Museus de Ciência que a cidade possui, das quais já vos falei no ano passado.

Mas as surpresas não ficam por aqui. Na edição deste ano ficámos a conhecer melhor Julio Casal, economista de formação e profissão (a “ciência obscura”, como ele diz ser costume catalogá-la), e um profundo apaixonado pela ciência em geral, abraçando por isso a Asociación de Amigos da Casa das Ciências e as exigências da organização da Mostra.

Elementos que, por si só, já dariam uma boa história. Mas a que vos quero contar aqui é outra: Julio, que não se cansa de questionar o mundo, é o criador (2007) da editora de divulgação científica “le pourquoi-pas?” (por que não?), sediada, lá está, na Corunha.

A le pourquoi-pas? coloca no mercado uma “colecção de volumes de divulgação científica escritos por autores espanhóis de reconhecido prestígio”, como são os casos de Ramón Núñez, director do Museo Nacional de Ciencia y Tecnologia, Manuel Toharia e Miguel Barral.

Uma série de livros que tem como objectivo “dar respostas a questões da actualidade sob um ponto de vista da ciência mas também do censo comum”, com um estilo “multidisciplinar que demonstre as inesgotáveis conexões que [a ciência] tem com outros âmbitos”.

Julio Casal até nem precisava de ser economista para perceber que um negócio destes assenta mais numa ideia romântica e numa vontade de servir o público do que numa real possibilidade de lucro. Mas, com a sua iniciativa, garante mais ‘três pontos’ de admiração para o impressionante ‘Deportivo Cientifico de La Coruña’ (para que não suscite dúvidas: a expressão é mesmo invenção minha).

Porquê o nome “le pourquoi-pas?”? Julio conta aqui a história melhor que eu o faria.

Publicado por Sílvio Mendes

Con(s)ciência: Trilhos de Esplendor

Trilhos que têm passado pelo Cabo Mondego. O esplendor que nasce da riqueza dos ecossistemas, fauna e flora desta zona costeira. Este fim-de-semana, se o tempo ajudar, aproveite para (re)descobrir o Estuário do Mondego, a Serra da Boa Viagem e praia de Quiaios com a companhia da Trilhos d’ Esplendor.

A Trilhos d’Esplendor é uma associação fundada em 2009 que promove a descoberta da riqueza do Cabo Mondego. Contribui para o desenvolvimento da protecção, educação ambiental e do turismo ecológico da região. Na descoberta de biodiversidade e geologia, proponho que explore actividades de ocupação de tempos livres a partir deste sítio.

A associação tem várias páginas na internet no formato de blog que documentam a Flora, Fauna e Ecossistemas do Cabo Mondego e regiões adjacentes. O interesse está na documentação desta biodiversidade. “Em Portugal não existem ainda muitos guias como, por exemplo, nos países anglo-saxónicos”, esclarece-nos o Dr. Horst Engels, Presidente da associação sediada em Quiaios, no concelho de Figueira da Foz.

Foi em Quiaios, na sede, na altura uma geladaria, que se reuniram aqueles que se tornariam os fundadores da Trilhos de Esplendor. Partilhavam ligações ao ensino e, claro, à ciência. “A ideia originária que se mantém tinha sido estabelecer um link entre as universidades portuguesas e o público em geral”, diz-nos Engels.

A Trilhos de Esplendor celebra a Biodiversidade do Cabo Mondego, a norte da cidade da Figueira da Foz. A sul do cabo e da cidade, o estuário do Mondego, com sapais, salinas e aquaculturas. Na direcção oposta, a norte da cidade, passada a Serra da Boa Viagem, a costa que se estende… A praia de Quiaios com recifes e um jazigo de fósseis e a norte as dunas de Gândara, Mira e Gafanhas, com tanto para descobrir!

Para este fim-de-semana o Instituto de Metereologia promete aguaceiros para domingo. Mas talvez, entre as nuvens, consiga encontrar o esplendor da região… Será que consegue encontrar gansos-patola ou salamandras-dos-poços?

Quando eu era uma pessoa mais pequena a minha mãe levava-me a passear à densa Serra da Boa Viagem. Desde esses tempos transpirados, a flora transformou-se, no rescaldo dos incêndios, com a invasão de acácias. Contudo, há sempre coisa boa que na terra brota. Quando lá voltar, vou procurar a erva agrimónia. Talvez saiba embalar o meu sonho e levar-me de volta aquela Primavera…

Publicado por João Cão

Con(s)ciência: Drogas e Sexualidade no CHECK-IN

O CHECK-!N é um grupo de pessoas que intervêm para esclarecer assuntos sobre drogas e sexualidade. Os membros do grupo, muitos deles voluntários, estão envolvidos na comunicação científica especializada sem tabus. Esclarecem sobre o risco e prazer das nossas drogas de consumo e práticas sexuais. No rescaldo de um Verão quente, a passagem pelo CHECK-!N ajudou a iniciar viagens mais seguras…

muitas substâncias psicoactivas que circulam nos nossos hábitos de consumo. O café e o açúcar, tão valorizados, e as drogas de farmácia que constroem a nossa “nação Prozac”. E, claro, o álcool. E é na noite e nos espaços de diversão que o CHECK-!N oferece os seus serviços antes de iniciarmos a nossa viagem. A qualidade da intervenção é importante. Os membros da equipa são pares dos participantes da festa, identificam-se também com o ambiente. As pessoas que usufruem do serviço são plenamente respeitadas. O CHECK!N abstem-se de julgamentos morais, ajuda a prevenir comportamentos de risco antes de levantar voo.

Este CHECK-!N já ajudou a embarcar mais de 34 mil pessoas numa viagem mais segura. Como? Com informação facilitada, pela entrega de material diverso. Contraceptivos sexuais, lubrificantes, tampões auditivos, borrifadores de água, kits para o consumo por inalação de menor risco. Em cada festa, diferentes necessidades. São “tribos” diferentes, com hábitos de consumo diversos. Para cada festa, as suas drogas. E, claro, o consumo tem sempre riscos associados. Drogas adulteradas, dosagens inadequadas podem roubar o prazer da viagem. Socialmente, este é um “trabalho de educação que é preciso fazer!”, reforça Filipa Soares, membro deste grupo.

Durante a visita ao CHECK-!N, o utilizador pode também testar as suas substâncias psicoactivas e ser aconselhado. Ou se quiser participar à distância pode fazê-lo no sítio da organização.

Os postos de informação CHECK-!N fazem-se acompanhar, desde 2009 e sempre que justificável, por um mini laboratório móvel. Substâncias ilegais são postas à prova. Usando técnicas de análise química qualitativa, como a Cromatografia de camada fina, identificam-se os constituintes da amostra. A adulteração de drogas sintéticas, como o ecstasy (MDMA), é um risco para a saúde pública.

Os testes de Alcoolemia são um dos serviços CHECK-!N

O projecto CHECK-!N faz parte da APDES (Agência Piaget para o Desenvolvimento), uma associação privada sem fins lucrativos que visa o desenvolvimento local e das populações. O trabalho desenvolvido também se faz em rede com outras entidades em plataformas como a rede europeia “Democracy, Cities & Drugs II”. Quem está envolvid@ no CHECK-!N “acredita naquilo que faz e nos resultados positivos da intervenção”, diz-nos Helena Valente, também colaboradora do projecto. “É gratificante trabalhar com esta proximidade das pessoas” acrescenta Filipa. Ela também já colaborou com uma organização parceira do CHECK-!N, a espanhola Energy Control, que tem uma abordagem de campo muito semelhante, veja neste video.

Este trabalho de campo, esta proximidade, é uma boa oportunidade para desenvolver investigação sociológica. Os dados recolhidos são igualmente importantes para reforçar o Sistema de Alerta Nacional e Europeu de Identificação de Substâncias potencialmente perigosas que circulam no mercado. Hoje em dia, a equipa CHECK-!N está repartida por Viseu e Lisboa, co-financiada pelo IDT (Instituto da Droga e Toxicodependência). Com financiamento próprio da APDES, está também na área metropolitana do Porto e pelos Festivais de Verão.

Os festivais de Verão, as discotecas, são um espaço fundamental de construção de identidade. Os objectivos deste grupo passam não só pela redução de comportamentos de risco na sociedade portuguesa, como também pela melhoria das condições das festas. E as equipas multidisciplinares CHECK-!N já passaram por muitas: Queimas das Fitas, Vilar de Mouros, Paredes de Coura, Azurara Beach Party, Boom, Andanças, Anti-Pop e Neo-Pop, etc. De todas estas festas, onde é que encontraram a tribo social mais consciente? “No Boom”, responde sem dúvidas a Filipa. O famoso festival de Idanha-a-Nova é a “elite das pessoas informadas”. “Contudo”, acrescenta, “em cada sítio apanhas de tudo”.

Publicado por João Cão

Espaço Ciência no Mundo Mix durante todo o fim-de-semana

Já arrancou a 24ª edição do Mercado Mundo Mix, no Castelo São Jorge. Este ano volta a haver um Espaço Ciência, partilhado pelo Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) e pela Associação Viver a Ciência (VAC).

Horários: Sexta-feira, sábado e domingo (14, 15 e 16 de Maio), das 12h às 23h.

PROGRAMAÇÃO DO ESPAÇO CIÊNCIA NO MERCADO MUNDO MIX:

Sexta-feira , 14 de Maio
A partir das 18h
Actividade do Cooking Lab
Recorrendo à gastronomia molecular, vai ser possível preparar, e provar, gelados refrigerados com azoto líquido.

Sábado, 15 de Maio
17h-19h00
Actividades da Associação Viver a Ciência
Ateliê de divulgação científica para as crianças sobre a vida marinha: esta actividade inicia-se com a narração da história do livro “Os Amigos da Menina do Mar”, explorando alguns segredos de animais marinhos de uma forma divertida e interactiva. De seguida as crianças podem participar em jogos e actividades com uma forte componente cientifica e artística.

Domingo, 16 de Maio
14h00 -16h00
18h00 – 20h00
Actividade do Instituto Gulbenkian de Ciência:
Extracção de ADN de Morangos. A maioria da experiências de Biologia requerem a extracção de ADN de células. Nesta actividade iremos extrair ADN de morango usando o mesmo método que se utiliza diariamente em laboratórios mas recorrendo a produtos domésticos – morangos, detergente da loiça, sal de cozinha, filtros de café e álcool.

Foi assim o Espaço Ciência. no Mundo Mix, em 2009.

Foi assim o Espaço Ciência. no Mundo Mix, em 2009.

Publicado por Sílvio Mendes

Workshop Ciência, Política e os Media: Como surgiu a ideia?

Uma vontade nascida em 2008 esteve na origem do conceito do Workshop Ciência, Política e os Media, que na próxima quinta-feira, dia 15 de Abril, se materializa na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Durante o European Science Open Fórum (ESOF) desse ano, em Barcelona, José Xavier (Instituto do Mar da Universidade de Coimbra) foi convidado pelo comité internacional para o Ano Polar Internacional para apresentar um palestra sobre o sucesso de Portugal na ciência polar. Esse fórum reuniu alguns dos mais activos cientistas europeus, membros do Parlamento Europeu, a comunidade jornalística e o público em geral, com o objectivo de exibir o que de melhor se fazia a nível científico no espaço europeu.

Durante o evento, ficou claro que estava na agenda europeia tentar compreender o que os investigadores, os políticos e os jornalistas andam a fazer e perceber como poderiam ser melhoradas as interacções entre eles.

Passada que estava a experiência, José Xavier encontraria em Cheila Almeida, Marta Agostinho e Inês Domingues (Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa) o entusiasmo e o apoio necessários para que a ideia do workshop pudesse transformar-se em realidade. Estavam reunidas as condições para que Portugal se juntasse à frente europeia na discussão desta temática tão importante.

José Xavier, optimista, abre-nos um bocadinho a cortina do que se passará na próxima quinta-feira: «A receptividade dos palestrantes, moderadores e relatores tem sido excelente… temos tudo para que seja um excelente dia!»

Organização do «Workshop Ciência, Política e os Media – Como traduzir conhecimento em decisões políticas»:

Cheila Almeida (Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa)
Inês Domingues
(Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa)
José Xavier (Instituto do Mar da Universidade de Coimbra)
Marta Agostinho (Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa)



Este texto integra o dossier especial criado para o Workshop Ciência, Política e os Media (15 de Abril de 2010, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa)

Publicado por Sílvio Mendes