Espécies na troposfera

Quando pensamos em indivíduos vivos a ocupar o ar, na  vida aérea, na atmosfera, pensamos em nuvens de pólen, sementes em dispersão, ou animais voadores, como os peixes-voadores, insectos, as aves, morcegos, ou nos extintos pterossauros. Mas tal como na terra ou na água, também na atmosfera existem organismos microscópicos, que se mantêm na atmosfera não por acção muscular, mas em movimento browniano, aleatório, à mercê dos movimentos do ar, como o pó.

Um estudo publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences of the USA (PNAS), por DeLeon-Rodriguez et al., documentou a existência de procariontes (células sem núcleo) a alturas entre os 8 e 15 km de altura, bem acima da Camada Limite Atmosférica . «As amostras foram recolhidas em 2010, a bordo de um avião DC-8, antes, durante e depois de dois grandes furacões no oceano Atlântico, Earl e Karl. Esta recolha aconteceu no âmbito do programa Processos de Génese e de Intensificação Rápida (GRIP), da agência espacial norte-americana NASA.» (ver) Segundo os autores do estudo, estes micro-organismos podem influenciar o clima, afectando a formação de nuvens. A análise genética das amostras demonstrou a existência de bactérias viáveis, com tamanhos entre 0,25 e um micrómetro de diâmetro, num total de 17 grupos diferentes, incluindo algumas capazes de metabolizar os compostos de carbono omnipresentes na troposfera.

atmosfera

 A troposfera é a a camada inferior da atmosfera, contendo 80% da sua massa e 99% do seu vapor de água. Estende-se entre 7 km – nas zonas polares – e 20 km de altitude – nos trópicos. A sua camada inferior, a Camada Limite Atmosférica, onde a fricção com a superfície influencia o movimento do ar, tem entre algumas centenas de metros até 3 km de altura  dependendo da forma da superfície e a hora do dia.

[Aproveito a ocasião de estar a escrever sobre procariontes para homenagear o recém falecido Carl Woese, que propôs a divisão dos procariontes entre as Bacteria e os Archea, que com os Eucariontes foram a sistemática de três reinos; sendo os Archea o reino irmão dos Eucariontes.]

Dada a amostragem de espécies de procariontes na atmosfera e o enorme volume desta, quantas espécies existirão na troposfera? Curtis et al. (2002) estimaram que poderão existir quatro milhões de taxa procariontes na atmosfera!

[Este artigo faz parte de uma série dedicada à biodiversidade e descoberta de novas espécies.]
Publicado por André Levy

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s