Literatura e Ciência (15): Sérgio Godinho «nunca tinha visto a lua tão perto de Vénus»

Sérgio Godinho começa a ser um caso sério neste blogue. Já o apresentámos em versão vídeo, em versão letrista de fado, e agora voltamos à carga com um poema, retirado do livro O Sangue Por um Fio (Assírio e Alvim, 2009).

«Noite de estrelas e planetas

Noite de estrelas e planetas
não estava previsto.
O certo é que tinha estafado os olhos
numa tarde ensanguentada
e agora quero ver como é por dentro:

Constelações alinhadas ao sol poente
por ordem do caos sem nome
prontas a aprumar-se ao mínimo clarim
por ordem da sua entrada
nos desenhos do universo
(ao sol poente
desce o sangue a outra morte, está previsto
e desenhado).

Nunca tinha visto a lua tão perto de Vénus
por cima de Júpiter já foge, a hora é fugaz –
ao sentimento fugaz desce a noite antiga
segue o rumo.

Avisei, durante o dia, para a noite e o seu tamanho
e já portanto
não há surpresa que escureça
a incandescência
(vês por dentro? são estrelas ou planetas?).
Luz própria é mensageira
luz reflexa quem a sorve.

Ou está tudo
os recados
por abrir?»

Publicado por Sílvio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s