Bons ventos de Espanha: Encontro sobre ciência e comunicação na ressaca da nova Lei (espanhola) da Ciência

De Pamplona, Espanha, chegam-nos os ecos da 5ª edição do Congreso Sobre Comunicación Social de La Ciência, realizada entre 10 e 12 de Março, no Planetário da mesma cidade.
Das conclusões partilhadas no website oficial do evento ressaltam algumas ideias que vale a pena conhecer.

Primeiro, retiradas do texto conclusivo Declaración de Pamplona: Uma nueva cultura que, inicialmente, recupera as premissas que deram origem à iniciativa, em Granda, há onze anos atrás…

«A informação científica é uma fecundíssima semente para o desenvolvimento social, económico e político dos povos. A cumplicidade entre os cientistas e os restantes cidadãos é uma excepcional celebração da democracia. E, para além disso, uma nova cultura contribuiria para reduzir as fraudes mascaradas de ciência, aumentaria a capacidade crítica dos cidadãos, derrubaria medos e superstições, faria os seres humanos mais livres e mais audazes.»

 … e, depois, passa para um lúcido e objectivo resumo do rumo que se pretende para o futuro:

«Defendemos uma nova cultura, integradora e transformadora em todos os sentidos: a interacção com o público, o papel dos media e das novas tecnologias de informação, a necessidade da inovação com critérios científicos, a defesa de uma educação realmente activa na promoção da cultura científica e a abertura de novos espaços e redes de cooperação, assuntos que foram objecto de debate nesta quinta edição do Congreso sobre Comunicación Social de la Ciência.»

A chefe do Departamento de Cultura Científica e da Inovação da Fundação Espanhola para a Ciência e Tecnologia, Rosa Capeáns Garrido, fechou o congresso com palavras de optimismo:

«São muitas as alternativas e vias, todas elas válidas, para fazer chegar a ciência à sociedade. A necessidade é evidente, os métodos variados: desde o teatro à imprensa, desde a banda desenhada aos museus, desde o cinema ao humor, desde as revistas à Internet, apenas necessitamos de manter vivo o entusiasmo pelo nosso trabalho, conscientes de que é um esforço necessário para que consigamos atingir a meta mais ambiciosa de todas: avançar para um mundo melhor.»

Nota: O governo espanhol aprovou este mês uma nova Lei de Ciência (consultar aqui), que promoveu alterações importantes no sistema científico espanhol (mesmo não escapando às críticas da Associações Científicas). É o pretexto ideal para voltarmos à Declaración de Pamplona: Uma nueva cultura:

«Agora constatamos que a comunicação científica está escrita e inscrita nas obrigações do Estado. A nova Lei de Ciência (…) semeia importantes oportunidades e reforça junto de todos os actores do sistema de ciência a necessidade de continuar a apostar na comunicação como um dos agentes de mudança e desenvolvimento social e cultural. Para o conseguirmos, continuamos a necessitar de um maior envolvimento por parte dos poderes públicos.»

 

Este texto integra o dossier especial criado para o Workshop Ciência, Política e os Media (15 de Abril de 2010, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa)

Publicado por Sílvio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s