Ir. E voltar?

fuga

© Javier Hammad

No website do Ciência Hoje está congelado (com comentários “úteis” publicados entre 2005 e 2007) um Fórum de discussão acerca do estado da ciência em Portugal. Chamo particular atenção para a intensa troca de opinião sobre a ‘fuga de cérebros’.

Não se pode dizer que o registo de ideias seja tão incontornável como acontece nos romances de Eça de Queiroz – «Pois eu, assim que possa, é direitinho para Paris! Aquilo é que é terra! Isto aqui é um chiqueiro…» – mas a verdade é que esse conjunto de comentários e queixas teima em não caducar e parece caminhar também a passos largos para se juntar a Os Maias como documento intemporal.
A confirmar essa ideia continua este texto (“Cientistas em Saldos”) publicado por David Marçal, em Outubro passado, no Público.

Aqui ficam algumas das ideias e desabafos semeados no referido Fórum:

«Cara Ana, não volte! Não destrua a sua vida. Volte e Portugal de férias, ou em trabalho temporário, ou em sabática, ou para vir a casamentos, mas jamais para fazer ciência. Fuja!»

«Acabei de receber este link por email de uma amiga em Portugal e estou aqui como uma esponja a tentar reter tanta informação nova sobre o presente panorama da ciência em Portugal de onde saí há quase 20 anos. Fui fazer o meu PhD no estrangeiro e não voltei. Para grande aborrecimento das instituições financiadoras de bolsas em Portugal, grande parte dos portugueses que saem, nunca mais voltam.»

«Não acho que haja razão para não explorar a possibilidade de fazer ciência em Portugal. O camhino também se faz caminhando.»

«Eu estou a acabar um doutoramento misto entre Portugal e França (Grenoble). No entanto logo que acabe não conto procurar continuar a minha carreira em Portugal. Os últimos anos tem sido dificeis e não se espera melhores ventos para breve. Em Portugal um jovem cientista não é valorizado e tem condições de trabalho fracas para as qualificações que tem e para o que se deveria esperar que contribuisse.»

Para ler respostas, contra-respostas, a endogamia e outros temas, o caminho faz-se por aqui.

Publicado por Sílvio Mendes

One response to “Ir. E voltar?

  1. Essa situação tem vindo a mudar: no site ‘Física Hoje’ (http://www.fisicahoje.com) muitos jovens estudantes de Física querem seguir carreira em Portugal. O investimento em ciência por parte do governo tem vindo a crescer.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s