Literatura e Ciência (1): José Rodrigues Miguéis

o pão não cai do céuUma citação da obra do escritor que viveu grande parte da sua vida nos Estados Unidos, onde viria a morrer em 1980, e que foi eleito académico correspondente da Academia das Ciências de Lisboa (Janeiro de 1976), inaugura esta nova rubrica. Objectivo: Simples. Partilhar testemunhos literários que façam referência à ciência e/ou exponham de algum modo, sempre com o seu estilo literário assumido, o pensamento científico. A consciência da sua evolução, através de uma literatura que lhe foi e é paralela, torna a relação com a ciência mais rica. Se concordam, juntem-se, funcionamos 24 horas por dia em regime de liberdade.

“O Dr. Palma era um rapaz (como ele dizia) de sessenta anos. Considerado o melhor e o mais estudioso dos clínicos da região, vinham consultá-lo ou chamavam-no os ricos de todo o distrito de Beja. Punha os novatos à prova, e saía sempre vencedor porque estava ao corrente de todas as novidades pela leitura de revistas médicas. Ele aproveitava o ensejo de uma gripe ou trabuzana intestinal para injectar aos pacientes algumas noções de política: «Que remédio têm eles senão ouvir-me! Dou-lhes aspirina e bicarbonato, um clister ou uma injecção de água destilada, e de caminho casco-lhes. Eles vingam-se de mim chamando o padre, e depois dizem que foi um milagre que os curou das hemorróidas ou da caganeira!»”.

José Rodrigues Miguéis, in “o pão não cai do céu”

Publicado por Sílvio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s